Poemas de amor :  O Sole Mio
Es muy hermoso ver salir el sol
En la mañana de las últimas brisas de la mañana.

Recuerda el dulce amor que se quedó en el tiempo
En las mañanas refrescantes, siempre recordaré.

Un camino florido en una mañana soleada,
Es como el viaje de un dueto natural.

Después de una noche de insomnio y tormenta,
Desde un cielo nublado sin luz de luna y chispa de las estrellas.

El día pasa tranquilo y sereno
Espero y sueño con mi nuevo sol
Camina sin miedo y olvida las tormentas.

Escucha el sonido de O Sole Mio,
Recuerda un sol que nunca volví a ver
Esa vida me quidó.

21.05.2020

https://youtu.be/5a0juQ0aeGI
Poeta

Poemas :  Futuro
Estou desperdiçando energias...
Estou estraçalhando sinfonias,
tal e qual um musico desafinado.

E o passado
(sombra que manipula o presente)
pula a barreira do tempo
e, de repente,
os erros nos entristecem...

Às vezes deixa
uma coragem no presente,
e uma interrogação
no futuro:

O que estará escrito
na palma da minha mão?

A.J. Cardiais
18.11.1983
Poeta

Poemas :  Poetizando momentos
O poeta, quando não passa seu tempo
observando e poetizando
os fenômenos da vida,
passa seu tempo poetizando
seus amores e desamores;
suas venturas e desventuras,
como se tivesse entregando "na bandeja"
as soluções (ou explicações)
dos problemas da Sociedade.

O que a Sociedade não sabe,
é que para o poeta,
viver, sentir e amar,
não precisa ser literalmente "na pele"...

O poeta pode viver, amar e sentir,
sem nunca ter vivido, amado ou sentido nada...
Para o poeta, viver não é uma questão de amar,
estar ou possuir.

Para o poeta,
viver é muito mais que isto:
viver é um sonho.

A.J. Cardiais
31.08.2017
Poeta

Poemas :  A derrota em calmaria
Sinto o efeito das pressas
nas pessoas:
Velozes, consomem tudo.
Ferozes, destroem o mundo.

Foi-se o tempo em que
havia calmaria...
Ninguém para pra ler.
Ocupar o tempo,
lucrando alguma coisa,
é um dever.

Dizem que "tempo é dinheiro".
Eles querem todos ocupados,
o tempo inteiro,
para ganharem alguns trocados.

Então ficamos sem tempo
para cuidarmos dos nossos "quadrados".
É justamente por falta de tempo
que seremos derrotados.

A.J. Cardiais
01.02.2010
Poeta

Crónicas :  A liberdade da crônica
O bom da crônica é isto: a liberdade de escrever sobre qualquer coisa. Pode ser o assunto mais sério ou o mais bobo, o mais vulgar. Tudo serve para comentar. Até a falta de comentário. Dizem que a palavra “crônica” deriva da palavra grega “chronos”, que significa tempo. Então, se a crônica significa “tempo”, ela está com tudo: com o passado, o presente, o futuro, as horas, as eras, o sol (tempo bom) a chuva (tempo ruim)... E está acontecendo o tempo todo. O Tempo é tudo. Talvez seja por isso que tudo é um motivo para uma crônica.

Eu já li crônicas que, nas suas palavras, não queriam dizer nada. Mas no seu bojo traziam uma infinidade de ideias, e só quem gosta de ficar observando a vida, é que é capaz entender. Então os que não têm essa “visão especial”, devem achar uma besteira. Mas isso é bem da crônica. Tem tantas coisas “bobas” acontecendo por aí, e as pessoas nem percebem. O próprio tempo, por exemplo: o sol surge, passa por cima de nós, vai embora. E as pessoas já estão tão acostumadas com essa besteira, que só notam quando precisam dele, e ele não está lá para servi-las. Caso contrario, nem notariam sua presença ou ausência.

As pessoas vivem muito preocupadas com os seus afazeres, sonhando em ganhar dinheiro ou procurando esquecer-se das mazelas da vida. Então não têm tempo de ficar observando essas “besteiras de tempo”. Afinal, isso serve para quê? As pessoas só querem saber de coisas úteis, de coisas que possam vender ou, no mínimo, sirvam para debater numa roda de amigos. É por isso que assistem os BBBs da vida: para não ficarem por fora do bate papo. O importante é participar. Não interessa a importância do assunto. Aí, quem não gosta de ficar debatendo “BBBesteiras”, fica de fora observando as besteiras do tempo e aproveitando para escrever um crônica besta.

A.J. Cardiais
17.01.2012
Poeta

Frases y pensamientos :  O TEMPO E A CONVIVÊNCIA
O TEMPO
E A CONVIVÊNCIA

   O tempo é o maior inimigo da beleza e a convivência sua melhor amiga. Um dia o tempo enxota a beleza e declara com inclemência que esta já se foi. A convivência, porém, benevolamente nunca a deixa partir de todo e sempre encontrará belezas onde a beleza já reinou.

Guru Evald
Poeta

Poemas :  Relatório de rotina
Domingo à noite... Nada pra fazer...
Não quero ficar sentando, assistindo TV...
Vou para o quarto,
ruminando pensamentos que me devoram...
Tento expulsá-los, mas não consigo...
Eles grudam em mim.
Eles querem me destruir.

Imagine você, domingo à noite,
sem ninguém, nem nada para lhe distrair...
Conversar por conversar não é um “papo”.
Não há nenhum “aprendizado” neste ato.
É só jogar conversa fora.
É deixar o tempo ir embora,
e depois reclamar da falta de tempo.

Eu quero é aproveitar o tempo,
mesmo sem fazer nada.
Mesmo estando assim,
com as pernas esticadas,
eu estou fazendo algo:
eu estou meditando...
Estou estudando as situações.

Estou explorando o desconhecido.
Depois, quando me perguntarem
se tudo que tudo que escrevi foi vivido,
eu responderei: nem tudo foi vivido...
Mas tudo foi sentido.

A.J. Cardiais
08.11.2009
Poeta

Poemas :  Tentando consertar minha vida
Estou tentando consertar
a minha vida...
Mas para alguns erros,
não existem consertos.

Fui negligente com o tempo.
Não observei os sinais.
Segui apenas o instinto: viver!
Então vivi, e nada mais.

Vivi, vivi, vivi...
Agora estou aqui,
procurando os velhos sinais.
O tempo é bom,
mas não volta... Jamais!

Não adianta alguém tentar
voltar atrás...
Tudo será apenas um recomeço.
O que foi, foi... Não volta mais.

A.J. Cardiais
31.07.2004
Poeta

Poemas :  À minha maneira
Vou vivendo o meu sonho,
dentro da realidade.
Não "vivo tanto" quando sonho,
é bem verdade,
mas é o suficiente para mim.

Eu sou assim, ora essa!
Não gosto de pressa,
nem enfrento tempo ruim.
Espero o sol sair,
para eu poder seguir.

O meu tempo está sendo...
Sei que ninguém está vendo.
Mas o que me importa
é minha vida torta,
sem eira nem beira.
Vivo à minha maneira.

A.J. Cardiais
16.12.2014
Poeta

Poemas :  Espelho, espelho meu
No meu espelho,
vejo a passagem do tempo...

Mas nem tanto,
quando eu vejo
a minha alma.

A minha alma
não envelhece...

Fico olhando pra mim
e digo/penso assim:
vê se cresce!

A.J. Cardiais
14.08.2010
Poeta