Poemas :  Poema Enviesado
Poema Enviesado
Quem viaja no poema
pode fica com algum problema
de solidão.

A não ser que nesta viagem
encontre algum personagem
que lhe dê atenção.

O poema se dirige
a quem nunca se restringe
a andar na contra mão.

Um olhar delicado
para um poema enviesado,
pode até virar paixão.

A.J. Cardiais
07.07.2014
imagem: google
Poeta

Sonetos :  Mar e mato
Mar e mato
Naquele mar...
Naquele mato...
Com este ato,
eu quis rimar.

Rimei
remei
passeei...
Me perdi.

Caí no mar,
saí no mato.
Sonhei...

Ao imaginar o fato,
de estar no mar,
e no mato, acordei.

A.J. Cardiais
22.02.2011
Poeta

Poemas :  Divã
Divã
Vejo minha vida escorrendo
entre os versos...
Não era isto que eu queria.
Mas confesso: isso me alivia.

Torna-se um desabafo
dizer o que penso,
o que sou e o que faço.

Não preciso de analista
tendo a poesia
sempre à vista.

A.J. Cardiais
22.02.2011
imagem: google
Poeta

Poemas :  Fuga da Inspiração
Fuga da Inspiração
Preciso terminar um poema
que comecei numa
empolgação danada...

Depois de algumas estrofes: pof!
A inspiração saiu em disparada,
parecendo ter visto
uma alma penada.

Agora estou num vazio
sem conseguir terminar nada.

A.J. Cardiais
03.06.2014
imagem: google
Poeta

Poemas de reflexíon :  Morte: Sorte e Azar
Morte: Sorte e Azar
Não tenho medo da morte,
mas tenho medo de como ela virá.
Se ela vier sem eu esperar,
estarei com sorte.

Mas se ela me avisar,
e começar a me assustar,
estarei com azar.

A.J. Cardiais
02/10/2012
imagem: google
Poeta

Poemas de desilusión :  Sempre de Partida
Sempre de Partida
A qualquer momento
posso ir embora...
Estou sempre de partida.
Talvez nem dê tempo
para despedida.

Não é que eu seja pessimista...
É que não quero que a morte,
me perca de vista
e me deixe aqui, penando.

Não quero ficar assistindo
esse pobre Mundo
se acabando.

A.J. Cardiais
30/01/2010
imagem: google
Poeta

Poemas :  Nonsense
Nonsense
Ela chegou que nem um céu...
Te deu amor, te deu a nuvem,
te deu o mel...

E eu cá, do meu absurdo,
rimo tudo
que me cheira bem.

A.J. Cardiais
03/10/1987
imagem: google
Poeta

Poemas :  Dores Tantas
Dores Tantas
Tantas dores eu sofro calado.
Sofro por coisas
que outros deixariam passar...
Também vivo coisas
que outros nem ousam imaginar.

Não sei se vivo pior,
não sei se vivo melhor...
Só sei que sigo
e não ligo
para o mundo material...

Sei que sou imortal,
apesar das dores
e dos sofrimentos.

A.J. Cardiais
12/12/2008
imagem: google
Poeta

Poemas :  Garimpo Literário
Garimpo Literário
Está difícil extrair ouro das palavras...
Está difícil garimpar.
É preciso quebrar blocos de idéias.
É preciso imaginar.

Demarcar o veio
em que se vai trabalhar
e começar a cavar letras,
até achar um filão...

Mas muita atenção,
pois o ouro está misturado ao cascalho...
É ouro em pó.
Tem que ser muito bem trabalhado.

Imaginem o monte de letras
que alguém tem que cavar,
para encontrar as palavras,
extrair o ouro e transformá-lo
em um texto.

A.J. Cardiais
17.12.2010
imagem: google
Poeta

Sonetos :  Duas Velas
Duas Velas
Sigo sempre meu ritual...
O meu tambor
tanto toca para o bem,
como toca para o "mal".

Quando toco para o bem,
é porque quero ir mais além.
Quando toco para “o mal",
quero livrar-me de alguém.

Mantenho duas velas acesas:
uma para minhas defesas,
outra para minha evolução.

Não é contraste não...
É difícil ter certeza,
do que trazem no coração.

A.J. Cardiais
19.06.2011
imagem: google
Poeta