Frases y pensamientos :  O MUNDO ESTÁ DOENTE
O mundo é uma ilha, nele temos que viver, ter ilusões, desejos fantasias alegrias, tristezas, momentos de dor e angustia, nem que no gostemos da maneira como somos obrigados a viver por imposição de outros, não temos para onde ir, por muito estragada que esteja a moral, por muito receio do amanhã de anarquistas que querem acabar com a policia, por muita mentira sobre o racismo, pelas manifestações sem causa, sobre vírus, que tele comandados matam quem querem por politicas fictícias e muitas vezes fratricidas, temos unicamente esta bola que gira e gira no vacum do desconhecido para pensarmos que temos algo além de cinza pó e terra
A alma em todos os conceitos da crença de cada um está esquecida.
Há muito muitos anos escrevi que o homem acabaria nas casernas como já viveu há centenas de anos. E cada vez tenho a impressão que vamos a passos largos para isso ou pior.
Uma falta de ordem, de lei, de respeito, de normalidade, começa a ser enxurrada que tudo leva para um mar revolto e sujo onde cheira a ódio, barbárie e sofrimento.
Sei que outros sofrerão mais do que eu, mas isso não me alegra, pelo contrário, entristece, pois, é sinal que a maior parte da minha vida está passada e não vivi como devia no tempo em que podia fazê-lo.
Saudade imensa em que simples coisas desde um brinquedo de madeira faziam uma criança feliz.
Perdeu-se o rumo, à deriva vamos. Desde a comunicação social ao sorriso falso com que os políticos nos levam como carneiros ao precipício, até há loucura de manifestações que tudo desfazem indo ao cúmulo de regarem policias com álcool e incendiarem-nos, não se lembrando que são seres humanos. Ninguém tem culpa de não sermos todos da mesma cor, ou de sexo diferente. Há lugar para todos se todos aceitarem que existem diferenças no tom da pele ou na fisionomia. E cada um tem o lugar onde nasceu.
Todos iguais, todos diferentes, mas cada um no seu sítio e respeitando-se. E seria muito bom que deixassem de ser vidrinhos de cheiro e de não ver má vontade nos que são o que gostariam de ser.
Porto.9 de junho de 2020
Carminha Nieves (secreet50)
Poeta

Frases y pensamientos :  DIVAGANDO
Si supiera hacer música que demostrara todo lo que siente mi corazón, si supiera plasmar en un lienzo lo que mi alma vive, era feliz.
Si pudiera describir el temblor que mis sentidos por veces despiertan en mí, quizá haría con que muchos me entendieran.
Sensibilidad extrema, que me transporta más allá de las nubes, que me da alas para volar hasta el infinito.
Pero, soy una triste por veces me resguardo de los demás e intento no demostrar lo que llevo dentro.
Desperdicio en medio de tanta dureza que es el ser humano, cuantas veces sin darme cuenta suavemente mi mano hace caricias en la manta que me cubre.
¿Seré ávida de amor? Quizá. Si lo es ya viene desde que nascí. Solo más tarde lo sentí. En mi infancia en mis mascotas fui dando mi cariño.
Después nunca tuve a quien dárselo. Hoy por mi edad tengo un poco de vergüenza de demostrarlo, aun que por fin tenga alguien que lo quiera e me retribuya.
Sé que más vale tarde que nunca de corazón agradezco este regalo.
Cuando se es niño no pensamos distraídos jugando con juguetes pasamos la vida feliz.
Soy un sueño que solo soñando se vuelve realidad. Soy tristeza invisible e felicidad, que transmito a quien está cerca de mí.
Lagrimas secas, carcajadas sin sonido, esperanzas sin tiempo, pensando si mañana vuelvo a ver las gaviotas pasando rodando mis ventanas.
Muñeca en el destino, que vino cuando nascí, en medio de un pinar al romper la alborada bajo el frio de abril, con trajes nuevos e el cuerpo envejecido con el sentir interior nuevo.
Soy un soplo, un suspiro, un dolor infinito por no haber sido amada, yo que tanto amé en silencio e agoté mi llanto en silencio sufriendo por no saber hacer música ni pintar un lienzo con mi alma plasmada e mis sentimientos para que me conocieran.
Aun quiero vivir absorber el frio de las madrugadas en invierno, oír los pájaros al romper del día en la primavera. Sentarme junto al mar e volar por encima de las olas para allá del cielo e sentir que soy lo que soy.
Porto, 11 de Diciembre de 2019Carminha Nieves secreet 50
Poeta

Frases y pensamientos :  PENSAMENTOS
Nunca cheguei a tempo. Pois sempre digo que tinha que ser um nada de tempo.
Nunca sonhei com o futuro, nem fiz planos, ou querer ter ou ser algo.
Deambulei, o que tinha chegava. Não pensei que um dia ficaria sem Pais, longe da minha terra, sem conhecer quase a Família deles ficaria neste amargo cinzento, de estar só. Amigas tive, mas já partiram e mais irão. E cada vez um bocado de mim vai também.
É assim a vida, para todos os que vão ficando.
Pobres do que nada sentem e vivem em competição para serem mais que outros. Hipotecados, ao faz de conta que são ricos, no fim só numa caixa de madeira descem ao fundo de uma cova e são terra também. Desprezaram, ofenderam, acusaram, roubaram a alegria a muitos, violaram sem escrúpulos os sentimentos sinceros de quem os afagou com carinho em situações que eles precisavam.
A vida é muito mais, é o ser, o amor, a sinceridade a humildade a gratidão e principalmente fazer o que se deve, sem pensar se haverá retorno dos outros.
Os pássaros cantam, sem pensar se os ouvem. O que querem é uma árvore para poisar e descansar. Os ninhos fá-los-ão mais tarde. Eu tive uma árvore, cantei, o ninho com muito esforço também o tive. Mas um temporal de inveja, ciúmes, com bicadas dolorosas obrigou-me a deixa-lo.
Alguém me recolheu e num beiral aconchegado tomou conta de mim. O meu ninho está velho, desprezado, o temporal aos poucos vai matando silenciosamente, o ciúme a inveja.
Do meu beiral assisto e não sorrio, só sinto uma mágoa intensa e a tristeza de que viver é muito mais.
Porto,20 de novembro 2019
Poeta

Frases y pensamientos :  PUDESSE MANDAR NA VIDA
No pensamento cansado de tantos anos, no monte imaginário onde sentada vejo o caminho percorrido, na solidão sem ninguém, chamo por ti. Nunca te senti, nem te vi. Desejei-te, mas em vão. Hoje sabendo que nunca te verei ou sentirei, a revolta é enorme.
Vida perdida, sem finalidade no labirinto da esperança de que melhorasse, foi-se gastando o tempo e hoje batalho para com o inevitável e lágrimas que pensei já não ter jorram quentes dos meus olhos cansados.
Estranha esta minha maneira de ser, alerta e ciente do que sou, como mascarada em carnaval continuo, mostro o sorriso para os outros. Como eu há milhões, como eu sofrem revoltam-se com a indiferença dos que ainda não estão no monte a olhar o passado. Tanto perdi sem o ter, tanto vivi sem viver, tanto pensei ter, sem ter nada.
Vejo nos cabelos brancos que ainda ontem eram loiros de crianças, a crueldade da vida impiedosa, a cobrir-nos e nestes momentos, sei o que sou. Da vida quando acaba resta somente o amor que se teve e se deu, sem pensar que ninguém o queria.
Desgaste insano do corpo com tempo limitado. E onde estão os sonhos? Pequenos instantes de ilusão, paliativos do pouco tempo que se vive.
Consciência que sem desgaste sente e sabe num corpo que teima em querer viver eternamente como ainda fosse criança e no colo sentisse o calor de alguém que nos velou no sono e amparou.
Que me importava viver na velhice se pudesse ver o sol, sentir o seu calor, sentir a brisa roçar a minha pele. Recordar vendo fotografias de quem partiu e que me deixaram o elo forte do amor. O nunca ver como será no futuro os avanços, novidades, inventos, porque não mandamos na vida e ela é implacável e deixa-nos. E somos somente recordação eternamente. Para muitos, alguns ou nenhuns. Não importa, nunca o saberemos.
Embora sinta saudades, e pena de muita coisa que acabou, ainda posso ter os meus momentos envoltos em esquecimentos momentâneos e sentir a vida quase em plenitude.
Sou um beija flor, num jardim abandonado, na esperança que por arte mágica se torne florido.
Na calma inconsciência, onde não se sente o passar do tempo, nem o fim da vida, vive-se?
Talvez. Mas enquanto o pensamento voar por sombras ocas, de outrora, por afagos leves de mãos invisíveis, no calor do cantinho onde dormitamos e sonhamos, vive-se.

Porto,8 de novembro de 2019
Carminha Nieves
Poeta

Frases y pensamientos :  SOU ASSIM NÃO TENHO CULPA
SOU ASSIM, NÃO TENHO CULPA.

Por muito que façam, que tentem acabar com a minha boa disposição, não o irão conseguir.
Quando partir, quem comigo conviveu, de certeza que me recordarão como alegre, diferente, imprevisível, engraçada e boa companhia.
Gosto de oferecer coisas, solta de pensar se merecem. É um direto meu. Sempre atenta ao que se passa, vislumbro no futuro as consequências do que de mal se faz no presente.
Pobre ou rico, é igual. Menos na educação, detesto a falta de respeito.
Mal dispostos, calados, hipócritas, falsos, mentirosos. E mais coisas.
Mas sempre disse que nunca afetaria a minha maneira de ser.
E assim leve e confortável, vejo inveja em quem tem maldade.
Viver tem o tempo contado e é muito curto. Se Deus mo deu tenho obrigação de o viver. Mesmo que alguns não consigam entender.
Já ocuparam a minha casa, saí, já me insultaram, não respondi. Já me acusaram de milhentas coisas, algumas bem feias. Não retorqui.
Eu sou eu. E gosto de ser como sou. Sou libre, não admito a ninguém que me proíba seja o que for. Os governantes que façam um exame de consciência e que se proíbam a eles.
Tapar o sol com peneira é inútil. Queiram ou não ninguém manda na natureza, forças imensas, podem mais que estes analfabetos que julgam ser muito inteligentes e sabichões. Com a maior exigência, vivo, ninguém me pode acusar de usurpar o que não me pertence. Ter o meu lugar por muito apertado que seja, não invado ou incomodo ninguém.
Sou tudo isto e muito mais. E gosto. Diferente, mas educada. Defensora da justiça, não a que se faz em tribunais, a que infelizmente muitos não conhecem.
Este é o meu estado de alma, é bom.
Amo muito, muita coisa, amo sem saber o quê, amo o sol que me aquece, o vento que brinca com o cabelo, o frio que me gela e o calor do conforto da minha casa, em que vivo, por favor.
Um abraço apertado, um beijo roubado para que ninguém veja, um olhar meigo e doce, um sorriso só para mim e amo a vida com dores com momentos atrozes, amo-a no seu todo.

Porto, 25 desetembro de 2019
Carminha Nieves
Poeta

Frases y pensamientos :  NO VENTO QUE PASSA,QUERIA AMAR-TE
Que saudade imensa é esta que o coração encolhe, que pranto seco faz soluçar este meu pensamento.
Grito silencioso que ninguém ouve, envolta no branco de quatro paredes, onde a minha sombra indelével e fugidia por vezes aparece, queria uma janela aberta por onde entrasse o sol radioso do amanhã e viesse, a esperança de que o meu tempo ainda me dará o que nunca tive.
De mansinho, sem se dar conta, tudo se vai perdendo do bom que a vida tem e como raio que tudo queima a realidade aparece de rompante e fere para sempre a inocente crença que vivemos rodeados de quem nos queria bem.
Muito custa, doí, magoa e talvez esta saudade seja a crosta desta ferida imensa que entranhada na carne nunca mais se cure.
Sonhadora, crédula, infantil, pobre de maus pensamentos, vivendo aquela felicidade de correr livre, subir às árvores, andar às escondidas com os cães e gatos, já a noite ia alta, sem medos, com o canto dos grilos alegres, no meio dos batatais, hoje no meio de ervas daninhas, já não corro. São outros lugares, sem o aroma dos damasqueiros, sem cães, nem gatos, os grilos desapareceram e mesmo sendo as noites estreladas, já nenhuma é minha.
É o sentir que sou passado, sonho perdido na madrugada do acordar que nas badaladas do relógio do tempo o meu deixou de as dar. Só resta ouvir sem retorno o tique taque, do tempo a passar.
Alguém tenho que tenta fazer-me feliz. Alguém que um pouco como eu, com simplicidade é como sabe viver.
Eternamente grata, carinhosamente o afago e tudo faço e farei para que seja feliz, pelo menos mais do que eu.
Pudesse eu acabar com esta saudade imensa, em vez de paredes brancas onde vislumbro a minha sombra fugidia, de mão dada contigo, correr por campos no meio do vento com cheiro a damasqueiros e amar-te com doçura, abraçar-te e esquecer o tempo.
Porto,29 de agosto de 2019
Carminha Nieves
no
Poeta

Frases y pensamientos :  A ESTRANHA FORMA DE SER
ESTRANHA FORMA DE SER

Muito já vi, chorei, dei gargalhadas, meditei, senti a doença no corpo, saber o que é estar 9 horas na sala de operações, saber o que é o desprezo, estar prisioneira e viver mentalmente violência e ao mesmo tempo amamentar um filho.
Passar noites acordada sem poder resolver e viver a própria vida.
Momentos felizes, alegrias inesquecíveis, amores que vivem para além da morte, mais, senti-me rainha, adorada e voei por entre nuvens de carinho. Muito já tive, cicatrizes muitas tenho, mas, sobrevivi.
Hoje, se algo tenho são sobras de mim. Uma incómoda desconfiança também. Vislumbres de vontade de crer, de pensar que ainda o que sobrou de mim, chega para sentir uma felicidade,
Leve, suave e de acordo com a idade. Não é pedir muito, mas pelo menos ajudava a que parte da revolta, solidão e magoada. Ficassem mais diluídas no meu pensamento.
Talvez por tanto ter dado, por tentar nunca magoar os outros, por ter sempre esta maciez de ser e nunca querer discussões pague agora a minha falta de maldade e avareza, ter o castigo que sempre existiu neste mundo tão falso e desprovido de bondade.
Seja qual a razão, não me arrependo de ser assim.
Porto,28 de agosto de 2019
Carminha Nieves
.
Poeta

Frases y pensamientos :  NO SILÊNCIO DO QUERER
No silêncio do querer


Tudo mudou, sentimentos, saber amar só por amar, saber ajudar sem alardes, mas com alegria. Aceitar os nossos defeitos e os dos outros. Respeitar o pequeno mundo que todos temos cá dentro.
O arco-íris que é a vida, no seu todo e que muitos não veem, é o princípio do saber conviver. Sem comparar o que se tem de bom ou mau, sem invejar, sem acusar, ou comentar à nossa maneira muitas vezes agreste.
A felicidade não existe, é um estado de graça que nos inunda em que nos sentimos bem. E que vai e vem. Pudesse eu contar abertamente episódios que vivi. Assim seria fácil entenderem o que digo. Mas não o devo fazer e muito menos agora, que o ser humano mudou tanto nos valores essenciais em que nos apoiamos para sermos o que pensamos ser no ego imenso da vaidade que somos mais do que os outros.
Por isso digo a felicidade não existe é um estado de alma.
Estendo os braços e não vens abraçar-me. Nem os teus olhos que sabiam o que ia no meu coração vejo. Em ti revejo muitos mais, de outros tempos onde sabíamos viver.
Por vezes dou comigo a pensar que tudo foi ilusão que de tanto procurar e de tanto querer, fiz dos meus sonhos realidade.
Tudo ou quase tudo foi relâmpago em noite escura, foi estrela sem vida ainda reluzente, no infinito. Cansaço de fazer de conta que tudo é verdade. Quimeras perdidas do pensamento e desejo de ter felicidade
Desgaste que o tempo faz. Hoje vazia de sonhos, no silêncio da solidão, sou eu e simplesmente eu e o meu mundo de fantasia que me fez sorrir e eram simplesmente lágrimas retidas no enorme desejo de ter o que não podia
Como borboleta rodopiei na luz de lâmpadas que imaginava, hoje apagadas, só me resta num canto qualquer ficar parada e ter um pouco de sol. E quando a noite chegar a encolher-me e aceitar que na realidade sempre estive só. Mesmo abraçada ou afagada por caricias, estive sempre só.
Porto,24 de julho de 2019
Carminha Nieves
Poeta

Frases y pensamientos :  A COLINA DOURADA
Colina dourada, no verde da esperança.
Caminhos rosa de pétalas desfolhadas na juventude.
Corações gravados nas pedras brancas da inocência.
Num lugar sem nome, sem saber onde, estou lá.
De mil perfumes eternos, docemente a criança brinca com pérolas do colar do seu futuro.
Pensamento vazio, sem medos nem discernimento. É ela, mas nem se dá conta que vai crescer. Se descer da colina. Cardos, espinhos, dor, temores, ferirão a sua pele suave e doce.
Voltei á colina lá fiquei. A pele com cicatrizes continua suave e continuo a brincar com as pérolas. O resto não importa. Fechei os olhos ao mundo, esqueci onde andei e quem fez parte da minha vida. Só eu e Deus e mais ninguém, pois o resto ou o todo, fui pura ilusão. Se desço de vez em quando, faço de conta que sou igual aos demais e sou alegre, bem-disposta, boa companhia e sinto que dei momentos agradáveis a todos.
E volto a subir pelo caminho rosado de pétalas rosa e medito no que vi, ouvi e senti.
No silencio da noite vazia imagino estrelas brilhantes e pouco mais. Opacidade no leve contorno dos prédios, ruido de um carro a passar na estrada e eu não penso em nada e em tudo penso, é indomável este alerta constante de querer saber e compreender a minha vida.
Para muitos, tenho tudo. Sou bafejada pela sorte, mas a realidade, é muito diferente. Sou um nada. Mesmo meu só tenho a colina dourada, que a custo consegui subir e sentir que sou alguém.
Porto,19/6/2019
Carminha Nieves
Poeta

Poemas :  UM SOPRO NA SOLIDÃO
Estendo os braços e não vens abraçar-me. Nem os teus olhos que sabiam o que ia no meu coração vejo. Foi muito difícil e triste ficar sem ti. Infelizmente compreendi muito tarde. Mas continuo a amar-te como se cá estivesses.
Em ti revejo muitos que me deixaram. Um vazio imenso, um silêncio em choro manso, no que deixo de ter. É triste partir, ficar também
Mas enquanto cá ando vivo e penso em Vocês. Neste turbilhão frenético de mudanças, um pouco desorientada, tento adaptar-me, mas não vos tenho cá para me apoiar.

Tudo mudou, sentimentos, saber amar só por amar, saber ajudar sem alardes, mas com alegria. Aceitar os nossos defeitos e os dos outros. Respeitar o pequeno mundo que todos temos cá dentro.
O arco-íris que é a vida, no seu todo e que muitos não vislumbram, é o princípio do saber conviver. Sem comparar o que se tem de bom ou mau, sem invejar, sem acusar, ou comentar à nossa maneira muitas vezes agreste.
A felicidade não existe, é um estado de graça que nos inunda em que nos sentimos bem. E que vai e vem. Pudesse eu contar abertamente episódios que vivi. Assim seria fácil entenderem o que digo. Mas não o devo fazer e muito menos agora, que o ser humano mudou tanto nos valores essenciais em que nos apoiamos para sermos o que pensamos ser no ego imenso da vaidade que somos mais do que os outros.
Por isso digo a felicidade não existe é um estado de alma.
Estendo os braços e não vens abraçar-me. Nem os teus olhos que sabiam o que ia no meu coração vejo. Em ti revejo muitos mais, de outros tempos onde sabíamos viver.
Por vezes dou comigo a pensar que tudo foi ilusão que de tanto procurar e de tanto querer, fiz dos meus sonhos realidade.
Tudo ou quase tudo foi relâmpago em noite escura, foi estrela sem vida ainda reluzente, no infinito. Cansaço de fazer de conta que tudo é verdade. Quimeras perdidas do pensamento e desejo de ter felicidade
Desgaste que o tempo faz. Hoje vazia de sonhos, no silêncio da solidão, sou eu e simplesmente eu e o meu mundo de fantasia que me fez sorrir e eram simplesmente lágrimas retidas no enorme desejo de ter o que não podia
Como borboleta rodopiei na luz de lâmpadas que imaginava, hoje apagadas, só me resta num canto qualquer ficar parada e ter um pouco de sol. E quando a noite chegar a encolher-me e aceitar que na realidade sempre estive só. Mesmo abraçada ou afagada por caricias, sempre só estou.
A paisagem verde da minha primavera da vida, tornou-se fria e despida, acastanhada, pejada de folhas desfeitas pela chuva e ventos agrestes. Ruído dorido ao pisá-las, como grito de agonia.
E nesta penumbra, vou indo, rumo ao nada do nada que recebi, de tanto ter ansiado, de ser um pouco feliz.
E assim, tentando decifrar o mistério da vida para entender como passou o meu tempo, quase fiquei sem tempo para viver.
Sou o pássaro que pela noite fora canta, sou o ruído que é silêncio, sou a estrela cadente, sou página de um livro esquecido, mas nem vento sou pois sou silêncio.

Porto, 20 de maio de 2019
Carminha Nieves
Poeta