Poemas :  O Pão Do Pobre
O Pão Do Pobre
Dizem:
“Não cai uma folha de uma árvore,
que não seja da vontade de Deus”.

Uma banda do meu pão caiu
com a parte de margarina
virada para o chão...

Será que foi a vontade de Deus,
ou tem outra “explicação”?

(Ditado: “O pão do pobre só cai,
com a parte da manteiga virada pra baixo”)

A.J. Cardiais
imagem: google
Poeta

Poemas de amor :  Equação do amor
Equação do amor
Corre pra mim...
Talvez eu ainda não saiba
o que é o amor;
Não tenha decifrado
esta cifra, mas...
Corre pra mim.

Corre pra mim com toda a incerteza
de qual caminho tomar
num labirinto;
Com toda insegurança
de quem tateia no escuro...

Corre pra mim, que eu também
estarei correndo pra você,
com as mesmas dúvidas...
Quem sabe junto a gente consiga
resolver esta equação???

A.J. Cardiais
imagem: google
Poeta

Poemas :  A Pimenta do Planeta
A Pimenta do Planeta
O poeta está por aí...
Pastando nos mastros,
violentando os astros
e morrendo de rir.

O poeta está por aí...
Rimando as poeiras
curtindo besteiras
sonhando onde ir.

Disse o poeta Waly:
“O poeta é a pimenta
do planeta”... (¹)
Se meta!

A.J. Cardiais
imagem: google (poeta Cuíca de Santo Amaro)

(¹) Lulu Santos e Waly Salomão
Em: Assaltaram a Gramática
Assista o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=OeLH5OP5h6E
Poeta

Poemas :  As Recordações
As recordações
me assaltam.
As recordações
me assustam.
As recordações
me incitam...

As recordações
me sacrificam.
As recordações
me matam.
As recordações
me ressuscitam...

As recordações
deixam meu presente
lambuzado de emoções.


A.J. Cardiais
Poeta

Crónicas :  Crônica sobre as crônicas que pretendo escrever
Esse título ficou “pomposo”, porque não encontrei meios de reduzi-lo. Se eu colocasse “Crônicas das Crônicas”, eu estaria me superestimando. Se eu colocasse “Crônicas Sobre as Crônicas”, eu estaria falando sobre todas as crônicas, e não das pobrezinhas que estão esperando pela minha boa vontade (que na verdade não é minha, pois eu também fico esperando por... digamos que seja a inspiração). Mas falando das “pobrezinhas”, elas não sabem que a culpa não é minha. Como eu não sei dizer o nome do verdadeiro culpado (ou culpada) e quem aparece sempre na história sou eu, então carrego esta culpa.

Mas falando das crônicas “pobrezinhas” que estão esperando pela minha vontade, eu digo que elas ficam insistentemente me perguntando quando é que eu vou posta-las na internet. Coitadas... Elas não sabem o que é internet. Elas pensam que ao serem expostas, todos irão admira-las, elogia-las... Elas pensam que as pessoas vão dizer: Você é muito boa, dona Crônica. Muito gostosa de ler. Eu me deleitei com a senhora... Aliás, é senhora ou senhorita? Elas só pensam nisso, coitadas. Não imaginam o pior. Não sabem que vão ter que enfrentar um monte de bocas torcidas, de narizes empinados, de falsos elogios, de indiferenças... E o pior é que elas não vão poder descer do tamanco... Vão ter que engolir com classe, porque ninguém é obrigado a aceitá-las.

Tadinhas das minhas crônicas... Ficam com esse assanho todo, quando eu as exponho, e elas veem a “parada” aqui fora, ficam arrependidas de terem insistido tanto para que eu as postasse na internet. Elas pensam que as coisas aqui são fáceis. Elas precisam entender que o mundo literário, não é melhor nem pior que os outros, é igual.

A.J. Cardiais
Poeta

Crónicas :  Paz e Amor
A minha única ambição é ter paz e amor. E se tiver que escolher um, entre os dois, eu fico com a paz. De que adianta ter um amor, sem ter paz para curti-lo? Vejo muitos casais dizendo que se amam, mas vivem num inferno de desentendimentos, que o amor fica longe. Ora por ciúmes, ora por falta de respeito e compreensão. Eu digo sempre: Onde existe respeito e compreensão, existe paz. Até entre inimigos pode existir paz, se os dois tiverem respeito e compreensão. Se o “mais forte” respeitar o espaço do outro, e evitar invadi-lo; e se o “mais fraco” for uma pessoa compreensiva, perceberá que o outro, que poderia trucidá-lo, respeita o seu espaço, passará a respeitá-lo não por medo, por ver que o inimigo é uma pessoa compreensiva. Eu cito isso porque existem muitos fracos abusados. Sabem que não podem com a briga, mas ficam fustigando o inimigo. Principalmente quando o inimigo o evita. Aí é que eles procuram aparecer...

Por aí dá para perceber que onde existe respeito e compreensão, existe paz. Pode ser uma paz mentirosa, mas não existe medo nem confusão. Aquela coisa de: “Ou medo, ou respeito”, não existe. Os casamentos de antigamente duravam porque, na sua maioria, eram alicerçados no respeito. A mulher não confiava no marido, mas procurava respeitá-lo. O homem, por sua parte, confiava na mulher e, para “respeitá-la”, fazia “seus negócios” longe. Em casa procurava parecer um “santo”. Então era muito difícil ver uma discussão entre casais. Com isso eu não estou querendo que as mulheres se tornem Amélia’s e Emília’s. Eu só estou citando o lance do respeito e da compreensão gerar a paz. Se as pessoas vivessem sintonizadas com essas duas palavras: Respeito e compreensão, talvez o mundo vivesse em paz. Porque o amor, do jeito que as pessoas estão concebendo, só traz uma paz momentânea. Fique em paz.

Obs. "Ai Que Saudades da Amélia" é uma composição de Ataulfo Alves e Mario Lago.
Ouça aqui: https://www.vagalume.com.br/mario-lago ... e-saudades-da-amelia.html

"Emília" é uma composição de Wilson Batista.
Ouça aqui: https://www.letras.mus.br/wilson-batista/265221/

A.J. Cardiais
Poeta

Frases y pensamientos :  Solidão
É preferível a solidão,
que gastar o tempo à toa.
Não é qualquer diversão
que me deixa numa boa.

A.J. Cardiais
Poeta

Haikais :  Mal me quer, bem me quer
Mal me quer, bem me quer
Dorme, mal me quer.
Quando raiar o dia,
acorde de bem.

A.J. Cardiais
Poeta

Sonetos :  Contaminação de Palavras
A palavra é uma larva
a espera de alimentação...
Quando o poeta põe a mão,
sua mão é tomada pela palavra.

Aí o poeta lavra a palavra
quando lava a mão
cheia de larvas.
O poeta contamina tudo:

O branco do papel
a imaginação
o sol, o sal, o céu, o chão...

O poeta é só contaminação...
Contaminação de larvas
contaminação de palavras.

A.J. Cardiais
03.12.2010
Poeta

Poemas :  A poesia da vida
Quem não faz poesia
não sabe como é a alegria
de chegar de manhã,
ao abrir a janela pra vida,
ser agraciado com a poesia...

A poesia está no olhar
de quem vê o dia com poesia.
A poesia está no verbo Amar
e em toda sua filosofia.

A poesia está no ar
está na vida
está no prazer...

A poesia não se esconde.
E vê
que tem olhos
para ver.

A.J. Cardiais
18.11.2010
Poeta